terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

09º dia - Cochrane/CH a Villa O´Higgins/CH - 223km

Acordamos cedo, como sempre, e tomamos o café na hospedagem. Troquei dólares com o dono da pousada, pois os bancos e casas de câmbio estavam fechados hoje, domingo. Já deixamos o "nosso" quarto reservado para a volta. Abastecemos a moto e seguimos ao sul, para o destino final na Carretera Austral, Villa O'Higgins.

Em Cochrane a gasolina chega a custar quase 50% a mais que nas demais cidades ao norte. Deve ser caro o frete até lá. O que gastamos na hospedagem, pagamos na manhã para abastecer 18,5l de gasolina normal.

A estrada de rípios de hoje foi no "estilo pedreira", forte mesmo, com alguns pontos com "trilhos", onde se permitia uma maior velocidade. Saímos com sol pelo menos.

Em Puerto Yungay, já com chuva, tivemos que pegar um "transbordador" para passar para o outro lado da "carretera". Não nos demos conta que teria horário. Informação que pegamos depois.

Tinha um ao meio-dia. Chegamos 5 minutos antes. Foi só o tempo de colar um adesivo na vidraça de um pequeno restaurante que tem ali e subir na moto para embarcar. Tivemos sorte, pois são somente três travessias por dia, e ainda não precisamos pagar. Essa travessia dura mais ou menos uns 40 minutos.

O rapaz encarregado pela sala de máquinas se apaixonou pela moto e me convidou para conhecer os dois motores que tocam a embarcação, na sala de máquinas. Tive que colocar protetor auricular por causa do "barulhão" dentro do local. Muito legal. Depois subi até uma cabine, climatizada, onde a Grazi estava. Imagino o frio que deve ser ali no inverno, pois no verão já é muito gelado.

Seguimos por lindos vales, montanhas nevadas e cachoeiras, paisagens de tirar o fôlego. Em certo momento da estrada, consegui atolar a moto em uma poça de areia. Tivemos que descer e empurrar, acelerando para sair. Mas tudo resolvido.

Pegamos 6 graus na estrada, com chuva e vento. Um pouco de frio. Encontramos vários ciclistas fazendo o mesmo percurso. Total loucura.

Antes das 16h estávamos chegando em nosso destino final, Villa O'Higgins. Recepção de primeira, com um lindo sol a nos esperar, depois de percorrermos quase todo o trecho da Carretera com chuva.

Cidade legal, rodeada de montanhas nevadas e lotada de pousadas. Não foi difícil achar uma e logo nos estabelecemos. Hospedagem Patagônia. Uma pousada com atendimento especial, muito boa e barata. Ficamos sem internet hoje, de novo, pois o único local que a dispõe estava fechado, conforme informação recebida dos moradores.

Saímos dar uma passeada pela cidade, a pé. Na volta a pousada, peguei a moto para abastecer. Aqui o litro da gasolina comum custa quase $ 1.000 pesos chilenos, ou seja, quase US$ 2 o litro. É a mais cara gasolina de toda a viagem, até o momento pelo menos. Coloquei apenas $ 6.000 pesos chilenos, pois a RT está com mais de 350km de autonomia, o suficiente para voltar a Cochrane.

Aqui na hospedagem tem também um restaurante, onde agora a pouco fizemos a nossa "cena". Conhecemos alguns chilenos que estão morando na Suécia, e que como nós, estão de passeio pelo Chile. Muito legal esse intercâmbio com as pessoas, de todos os lugares do mundo.

Vamos dormir um pouco mais cedo, pois amanhã teremos que percorrer um trecho de rípio até às 10h, hora do primeiro "transbordador". Para isso temos que acordar 6h, tomar café na hospedagem e sair até às 7h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário